“Palcos” – Festival de Teatro Amador

Por Tiago / Quarta-feira, 04 de Outubro de 2017 / Publicado na categoria Cultura

20170006 cmst palcosst site e.01 1 980 2500

………
PALCOS DE SANTO TIRSO
Festival de Teatro Amador 2017
02 -22 outubro | Vários locais

A Branca de Neve e a Bruxa Má
A TAL – Associação de Teatro Amador do Livramento (Funchal)
Dia 04 | 15h00 | EB1 de Campinhos (Agrela)
Dia 07 | 10h30 | Biblioteca Municipal de Santo Tirso
Infantil | M/6 | 30 minutos
Um conto infantil baseado na história da Branca de Neve e da sua madrasta má. Porém, nesta história nada é o que parece.


Filho de Trolha
João Pedro Ramos
Dia 06 | 21h30 | Clube Thyrsense
Humor | M/12 | 45 minutos
Um comediante chega à cidade disposto a contar a sua história pessoal: filho de trolha com as suas peripécias tão típicas e nada afortunadas. Um espetáculo de stand up comedy com o humorista madeirense João Pedro Ramos que agora começa a dar os primeiros passos a nível nacional


Guerras de Alecrim e Manjerona
Nova Comédia Bracarense
Dia 07 | 21h30 | Auditório Eng. Eurico de Melo
Comédia | M/12 | 75 minutos
A intriga desta peça gira em torno de uma disputa estabelecida entre dois ranchos – que têm como símbolos o Alecrim e a Manjerona – e dos seus protagonistas. De um lado, D. Fuas que pretende assegurar a mão de Dona Nise; do outro, D. Gilvaz, que deseja conquistar o coração de Dona Clóris. Para tal, os dois fidalgos pelintras contam com o engenho e a arte do gracioso Semicúpio (criado de D. Gilvaz) para levar a cabo os seus intentos. Contudo, as sobrinhas do velho avarento D. Lancerote estão prometidas, pelo menos uma delas, ao primo D. Tibúrcio, um morgado rústico que, porém, não colhe os favores das pretendentes. Entre encontros e desencontros amorosos, a peça vai-se desenrolando em palco, cheia de graça e humor, até terminar com um inesperado final feliz.


As Malaventuras de Serafim e Malacueco
Teatro Aviscena (Vila das Aves)
Dia 08 | 15h30 | sede do Rancho Folclórico de S. Pedro de Roriz
Infantil | M/6 | 35 minutos
Serafim e Malacueco são dois vagabundos que juntos já passaram por aventuras que lhes trouxeram alguns sabores e dissabores! Desta vez vão embarcar numa emocionante viagem com uma Pirata, por mares nunca dantes navegados, até à ilha deserta da D. Crudéfila III, Rainha das Areias Poluídas e das Águas Salmonadas. Por entre trapalhices, azares e malaventuras, os dois vão descobrir o verdadeiro sentido da vida, nesta peça concebida a partir do texto dramatúrgico de ‘Serafim e Malacueco na Corte do Rei Escama’ de António Torrado.


A Bebedeira da Morte
TeatroPalco – Grupo de Teatro de Sobrosa (Paredes)
Dia 13 | 21h30 | Centro Paroquial Fontiscos
Comédia | M/12 | 80 minutos
Falar sobre a morte não significa entrar em especulações ideológicas, abstratas e metafísicas, nem em detalhes assustadores e macabros. O assunto é colocado em cena em tons de comédia. Nada tem a ver com depressão, morbidez, falta de esperança ou niilismo. Pelo contrário, a morte é aqui vítima dos “prazeres exagerados” dos humanos.


Quadro
TEIA – Teatro Experimental Intervenção de Alvarim
Dia 14 | 21h30 | Escola Sec. Tomás Pelayo
Comédia | M/12 | 60 minutos
Três amigos encontram-se e discutem o seu sentido estético à volta de um quadro. Onde um vê cor e arte, outro vê horror e espanto, enquanto outro não vê nada a não ser uma tela branca. Será que algum deles conseguirá comprar essa obra de arte?


Três Fósforos
Teatro Coelima (Pevidém, Guimarães)
Dia 15 | 15h30 | Centro Paroquial de Monte Córdova
Comédia | M/12 | 70 minutos
Numa prisão, e de forma livre e espontânea, dois presos debatem sobre os problemas que afetam a sociedade. Falam do que desejam, dos seus sonhos e essencialmente daquilo que acham que toda a gente deve ter direito: a liberdade num país onde ser livre lhes vai custar muito caro. Um retrato da sociedade em plena ditadura salazarista, através de um texto censurado pela PIDE em vésperas de estreia.


Viriato e os Romanos
Roderikus – Grupo de Teatro de Roriz
Dia 20 | 21h30 | Centro Paroquial de Água Longa
Comédia | M/12 | 50 minutos
Mais do que uma peça em torno das conquistas romanas e da respetiva resistência de Viriato e da sua tribo, em “Viriato e os Romanos” reflete-se reflexão sobre a luta humana sobre o sonho da conquista da liberdade, da sua afirmação e da afirmação da identidade de um povo.


Natália
Doze Arte Livre (S. Mamede de Infesta, Matosinhos)
Dia 21 | 15h30 | Centro Cultural Municipal de Vila das Aves
Musical infantil | Todos os públicos | 60 minutos
Um espetáculo de teatro, música e dança inspirado num conto infantil de Ana Cristina Briona, interpretado por André Santos, Sandra Veludo e Cristina Briona acompanhados de 4 bailarinos da academia Dance Point. Tudo começa com uma carta intrigante entregue a um casal que tem como missão realizar desejos e tornar as pessoas mais felizes. Uma carta escrita por uma menina oriunda de um país distante que, ao contrário de todos, nada tem a pedir, ela tem algo para oferecer.


Maria, Senhora de Mim
Pateo das Galinhas – Grupo Experimental de Teatro (Figueira da Foz)
Dia 21 | 21h30 | Centro Cultural Municipal de Vila das Aves
Tragédia | M/12 | 60 minutos
Três mulheres, três vidas. Um passado que se revisita e um presente que magoa. O desencanto, a aceitação, a entrega, o corpo que se vende e o amor. Verdadeiro, mas traído. Porque a existência obriga, a solidão arrasta, a vontade enfraquece. Três mulheres leem o mundo e os que o povoam. De forma profunda, mas também simples, como marginais e como gente vulgar que apenas quer sobreviver. A felicidade pode não ser possível, os que vivem podem não existir e a tragédia reside na compreensão vaga de que tudo o que há em nós pode ser absurdo e não ter sentido. Uma mulher sai, numa noite, para vender o corpo. Vive ou morre?


João Sem Medo
Companhia de Teatro Os Quatro Ventos (Santo Tirso)
Dia 22 | 15h30 | Centro Paroquial Reguenga
Comédia | M/6 | 45 minutos
João sem medo vive em chora-que-logo-bebes, uma aldeia onde o medo e o choro reinam dia e noite. Esta peculiar povoação fica aninhada perto de um “muro construído em redor da floresta branca, uma floresta mágica, onde os homens, perdidos dos enigmas da infância, haviam instalado uma espécie de parque de reserva de entes fantásticos.” Farto da choraminguice dos seus habitantes, decide saltar o muro e partir em busca de aventuras. Na floresta, os caminhos árduos que conduzem à felicidade estão repletos de personagens mágicas que não lhe dão tréguas e insistem em apresentar-lhe as mais infindáveis e surreais contrariedades, que só um rapaz cheio de valentia e teimosia na luta poderá aguentar.

Todos os espetáculos têm entrada livre.
Mais informação e/ou reservas:
252 833 428 | cultura@cm-stirso.pt

TOP