Presidente da Republica visita áreas afetadas

Por Rita Almeida / Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

Ao início da noite de ontem, em Santa Comba Dão, o Presidente da República quis assinalar “uma capacidade de resistência e uma capacidade de reconstrução inimitável, que é própria dos portugueses, mas que é muito própria” daquelas terras.

Marcelo esteve no terreno e reuniu com autarcas e afirmou ainda que espera que a recuperação seja iniciada com urgência.

“Houve perdas humanas e de habitações de 1ª e situações de alojamento precário ou provisório e outras que enfrentaram esta situação ficaram sobre esta de choque, que precisam de apoio. Depois eu queria dar uma palavra à forma como várias instituições e a segurança social estiveram atentas para minimizar os custos imediatos na vida das pessoas. Isto é um desafio impressionante, o que eu encontrei até agora é a capacidade de resistência e a capacidade de reconstrução ilimitada, que é própria dos portugueses. Mas que é muito própria destas gentes e destas terras. E nesse sentido, aquilo que o presidente quer dizer com a sua presença aqui é solidariedade, memória, eu não deixarei esquecer o que se passou”.

Presidente vai continuar pelas regiões que foram afectadas pelos fogos do passado fim de semana.

Entretanto o presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil pediu a demissão com efeitos imediatos. Joaquim Leitão remeteu a carta de demissão ao Ministério da Administração Interna. Todavia, como Constança Urbano de Sousa já se tinha demitido, o documento seguiu diretamente para o gabinete de António Costa.

Joaquim Leitão, um coronel considerado próximo de António Costa, tem sido apontado como um dos principais responsáveis pelo deficiente combate aos incêndios este verão e ocupou o cargo durante cerca de um ano. António Costa está em Bruxelas e por isso ainda não assinou o despacho de exoneração.

As temperaturas vão subir até aos 30 graus Celsius entre domingo e quarta-feira, devendo o risco de incêndio voltar a aumentar já a partir de sábado, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

“A precipitação entre 16 e 21 [outubro] não deverá ter impactos significativos na diminuição da situação de seca, em particular nas regiões do interior e no Algarve, devendo o risco de incêndio voltar a aumentar já a partir de amanhã, pelo menos até 25 de outubro [quarta-feira]”, indicou o IPMA, sublinhando o regresso do “tempo seco após semana com precipitação”.

Partilhe
TOP