Centeno é o novo Presidente do Eurogrupo

Por Rita Almeida / Terça-feira, 05 de Dezembro de 2017 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

O ministro Mário Centeno foi eleito o próximo presidente do Eurogrupo. Num primeiro e curto discurso, manifestou grandes expectativas para trabalhar os consensos necessários ao trabalho dos 19.

Mário Centeno afirmou, em Bruxelas, que “é uma honra ser o próximo presidente do Eurogrupo”, nas suas primeiras palavras, em inglês, na sala de imprensa do Conselho da União Europeia, em Bruxelas, após ter sido eleito.

Ao lado do ainda presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro, Jeroen Dijsselbloem, do comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, e do diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, Mário Centeno agradeceu aos seus colegas, “em particular” aos seus concorrentes na eleição, o luxemburguês Pierre Gramegna, a letã Dana Reizniece-Ozola e o eslovaco Peter Kazimir, por “uma corrida justa e muito democrática”.

Aqui ficam as primeiras palavras de Mário Centeno com a tradução feita pela RTP:

“Para nós prepararmos melhor as nossas economias, as nossas sociedades. Estamos muito focados nisso e eu serei apenas presidente do Eurogrupo já que a função principal caberá a todos os estados membros da Zona Euro, da Comissão Europeia, às instituições europeias. Eu estarei, naturalmente, disponível e disposto a colaborar com eles para se chegar a consensos que é aquilo que nos foi deixado como herança. Temos de partir disso e agradecer aos meu antecessor pelo trabalho que fez nos últimos 5 anos e estou com grandes expetativas relativamente a janeiro de 2018”.

O ministro das Finanças português, Mário Centeno, foi hoje eleito presidente do Eurogrupo, ao impor-se na segunda volta da votação realizada em Bruxelas.

Centeno torna-se assim o terceiro presidente da história do fórum de ministros das Finanças da zona euro, depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker e do holandês Jeroen Dijsselbloem, assumindo funções em janeiro próximo.

A vice-governadora do Banco de Portugal não vê riscos para o país na possível eleição de Mário Centeno. Elisa Ferreira diz mesmo que será não só importante para Portugal como também para a Europa.

“Há muitas peças que faltam, quer na união monetária, quer não união bancária e a experiência de uma pessoa que já passou este processo e que já o viveu. Acho que pode trazer um grande valor acrescentado se conseguir de facto completar estes dois projetos, a união monetária e a união bancária. Não vejo risco e acho que é essa a função. Foi isso que aconteceu com o ministro das finanças da Holanda”.

Já o antigo ministro das Finanças do Governo liderado por José Sócrates fala de um papel exigente na função de liderar o Eurogrupo. Teixeira dos Santos acredita que Portugal vai prosseguir o caminho da consolidação orçamental.

“Não é trabalho de um homem só, é sempre o trabalho de uma equipa. Ele terá necessariamente um staff reforçado, que o acompanhe e o apoio das sua tarefas a nível comunitária para ao fim e ao cabo levar a bom termo as tarefas que está a desempenhar dentro do país. Agora internamente temos consciência de que a negociação com os países é importante, onde as expressões são maiores e penso que que neste contexto temos uma posição reforçada, sendo que Portugal continuará a consolidação orçamental e o percurso até agora a ser feito”, Teixeira dos Santos em declarações à Antena 1.

Partilhe
TOP