Reações à eleição de Centeno

Por Rita Almeida / Terça-feira, 05 de Dezembro de 2017 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

Marcelo Rebelo de Sousa diz que o patinho feio da Europa se transformou em cisne resplandecente.

O Presidente considera uma alegria a eleição de Mário Centeno, mas avisa que não se pode brincar em serviço e que o Governo português terá agora de dar o exemplo no Eurogrupo.

“Quando olham agora para Portugal, olham para o país que tem o presidente do Eurogrupo. Não é exatamente a mesma coisa. Era o patinho feio para muitos muito feio e agora de repente é um cisne resplandecente. Isso faz toda a diferença, não se brinca em serviço. O orçamento para 2019 tem de corresponder aquilo que é exigência de alguém de dá o exemplo no Europgrupo. Isso quer dizer continuar a ter muito juízo e não ter aventuras”.

Já António Costa considera esta eleição uma vitória de Portugal e avisa que o caminho traçado até aqui é para continuar.

“A combinação de política que conseguimos adotar e que temos vindo a adotar têm vindo a produzir bons resultados e seguramente se não tivéssemos vindo a ter bons resultados, o presidente do Eurogrupo não seria o ministro das finanças de Portugal. Esse reconhecimento que valoriza a posição de Portugal e temos já neste momento o orçamento para 2018 aprovado e temos uma trajetória para continuar até ao final da legislatura e não haverá seguramente aí surpresas. Vamos manter as políticas que temos mantido e não é siso que se alterará”.

PSD e CDS avisam Mário Centeno que a responsabilidade de Portugal aumenta com a eleição para a presidência do Eurogrupo.

Duarte Pacheco do PSD refere: “significa que Portugal está agora ainda mais comprometido com as regras europeias, com a disciplina europeia. Não é possível presidir ao Eurogrupo e depois prevaricar dentro de casa. Quem preside é o guardião das regras europeias”.

Já João Almeida do CDS diz “avaliaremos com muita atenção, a coerência que existirá ou não entre aquilo que o PS nos últimos anos e aquilo que será agora o desempenho de Mário Centeno como presidente do Eurogrupo, designadamente nas políticas da política europeia”.

Para os partidos que suportam o Governo nada muda, mas alertam para um possível aumento das restrições europeias.

João Ferreira do PCP afirma: “O PCP alerta para o uso que o governo do PS no quadro das suas opções e em sintonia com as do PSD e do CDS venha a fazer desta decisão para acentuar a recusa ou limitações as medidas necessárias ao alto desenvolvimento do país”.

Mariana Mortágua do Bloco aponta: “será que Mário Centeno ao ser português pode fazer a diferença? Como Portugal viu a diferença que Durão Barroso não fez sendo presidente da Comissão Europeia quando Portugal enfrentou um violentíssimo programa de austeridade e Portugal viu como Vítor Constâncio, sendo vice-governador do Banco de Portugal, não fez nenhuma diferença quando o país foi obrigado a vencer o BANIF ou melhor entregar o BANIF ao Santander”.

Para o presidente da Assembleia da República esta eleição é motivo de orgulho para o país.

“É muito importante sobretudo depois da mudança profunda que houve na política económica e financeira de Portugal nos últimos dois anos, que um dos principais protagonistas tenha sido eleito para presidir o Eurogrupo que foi uma das entidades que mais se manifestou”.

Mário Centeno é o novo presidente do Eurogrupo.

Partilhe
TOP