Aumento do salário mínimo em cima da mesa

Por Rita Almeida / Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2017 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

O Governo propôs aos parceiros sociais uma subida do salário mínimo em 2018 para os 580 euros, como consta do programa de Governo.

No entanto, o executivo não se comprometeu com novas contrapartidas para as confederações patronais como revelou o Ministro do Trabalho Vieira da Silva.

“Há muitas dimensões que lá estão previstas. A capitalização das empresas, o apoio à formação, da melhoria das justiça ou na área da energia que são trabalhos que estão a ser desenvolvidos e portanto não  me parece impossível que no quadro do acordo que foi celebrado o ano passado e com esta alteração do valor, haja um entendimento por parte dos parceiros”.

Dos parceiros sociais o que mais se aproximou das ideias do Governo foi a CIP, como deixa entender António Saraiva.

“Discutir este valor está fora de questão. O governo tem isto inscrito no seu programa de governo vamos ter de aceitar. O que importa é não nos detalharmos apenas no salário mínimo mas olharmos e melhorarmos o ambiente económico onde as empresas desenvolvem as suas atividades. É isso que nos importa, é esse que será o nosso debate, melhorar a envolvente económica das empresas e os seus fatores de competitividade”.

Já João Vieira Lopes, da Confederação do Comércio e Serviços afirmou: “não vemos que haja qualquer razão para que exista um acordo”.

Quanto aos sindicatos a UGT pela voz de Lucinda Gama revelou

“A nossa proposta mantém-se no 585€ daqui até ao dia 19 iremos fazer a nossa caminha e esperamos no dia 19 chegar a um consenso. Entendemos que é sempre melhor um acordo seja de que matéria for do que uma imposição do governo. Portanto iremos caminhar nesse sentido”.

Arménio Carlos da CGTP por várias vezes interpelou o Governo sobre o facto de não ser possível chegar ao valor de 600 euros já no início do ano, algo que não obteve resposta.

Partilhe
TOP