Grandes nomes da música que se perderam em 2017

Por Rita Almeida / Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2017 / Publicado na categoria Curiosidades, Notícias

Grandes nomes da música que se perderam em 2017. Como é o caso de Zé Pedro dos Xutos & Pontapés, aos 61 anos, vítima de cancro.

Contudo, também a morte inesperada de Tom Petty, rocker norte-americano. Morreu subitamente aos 66 anos de ataque cardíaco. De realçar, igualmente, o suicido de Chris Cornell dos Soundgrandem e de Chester Bennington dos Linkin Park, ambos por enforcamento.

Não esquecer o cantor soul Charles Bradley, aos 68 anos, vítima de cancro no estômago diagnosticado no final do ano passado. E, ainda, Loalwa Braz, a famosa cantora dos Kaoma, que interpretou a famosa música lambada “Chorando Se Foi”, suspeita de assassinato.

O fundador do rock & roll Chuck Berry aos 90 anos e o francês Johnny Hallyday aos 74 anos, com um dos maiores funerais de que há memória em França. Não nos podemos esquecer do pianista norte-americano, Fasts Domino, que faleceu aos 89 anos, bem como Malcolm Young, ex-guitarrista e cofundador dos AC/DC morreu aos 64 anos vítima de doença prolongada.

Também no jazz se perderam nomes importantes como Al Jarreau com 76 anos e Jon Hendricks com 96 anos. O blues perderam o mestre da harmónica James Cotton aos 81 anos e Glenn Campbell também com 81 anos.

Para finalizar este leque em grandes perdas em 2017, uma morte aparentemente fora das contas da música é de Charles Manson, um dos assassinos em série mais famosos do mundo e mentor da seita “The Manson family”, vítma de cancro aos 83 anos.

Partilhe
TOP