Centeno promete obras no S.João

Por Luís Mendonça / Sexta-feira, 13 de Abril de 2018 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

Mário Centeno, ministro das Finanças, já veio responder às acusações feitas relativamente ao desbloqueio de verbas para a ala pediátrica do São João, no Porto. Contudo, recusa-se a revelar o montante do investimento, garantindo apenas que “vai avançar”.

O ministro das finanças respondeu aos deputados, fazendo referências ao ministro da saúde, dizendo que “não somos todos Centeno, somos todos Adalberto, porque na verdade, a redução do défice não foi feita a custa da saúde. Hoje o Serviço Nacional de Saúde gasta mais 700 milhões de euros do que gastou em 2015. Neste momento, o projecto da ala pediátrica do S. João está englobado num conjunto de projetos cuja aprovação foi feita e está em processo pelo governo e vai avançar, mas vai avançar, de forma concreta. Não com fotografias de primeiras pedras sem dinheiro.”

Questionado várias vezes por diversos deputados sobre a data em que as finanças irão libertar os 22 milhões de euros necessários para a construção da ala pediátrica do Hospital de São João, Mário Centeno, limitou-se a referir que existe “um pacote de investimentos que está a ser trabalhado entre o Ministério da Saúde e o Ministério das Finanças”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também, já reagiu a esta notícia. Afirma que esta “é uma questão antiga e penso que pelo que pude apurar que há uma sensibilidade do governo para enfrentar desbloquear esse problema. É um problema antigo que tem os contornos que todos conhecem.”

O chefe de estado disse ainda que “o governo irá comunicar em tempo oportuno que irá contribuir para resolver esse problema”.

Em causa estão as faltas de condições de atendimento e tratamento de crianças com doenças oncológicas. A denúncia foi feita, ao Jornal de Notícias pelos pais de várias crianças que estão a receber tratamento, no Hospital S. João, no Porto.

Os pais garantem que a quimioterapia pediátrica em ambulatório esta a ser feita num corredor e que as crianças são transportadas num elevador onde também circulam contentores do lixo. O Hospital responde que tem havido obras de melhoramento e adaptação que começaram há 10 anos e que vão continuar.

Partilhe
TOP