Carne foi apreendida pela ASAE em Chaves

Por Tiago / Domingo, 10 de Junho de 2018 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

Um restaurante de Chaves é alvo de um processo-crime por venda de javali capturado numa zona de caça de Trás-os-Montes onde já foi comprovada a presença de parasitas causadores da triquinelose (doença transmissível ao homem). As peças de carne não tinham sido sujeitas à inspeção obrigatória por um médico veterinário. Numa fiscalização ao estabelecimento, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu 128 quilos de peças de carne, no valor de 600 euros, e instaurou o processo por comercialização de produtos anormais avariados e abate clandestino. A operação da Unidade Regional do Norte da ASAE foi realizada apenas naquele estabelecimento devido à presença de carne imprópria para consumo, não só por não ter sido realizado o rastreio veterinário, mas também por os animais terem sido capturados de forma selvagem. A presença do agente que provoca a triquinelose em javalis abatidos em zonas de caça localizadas em concelhos transmontanos originou a identificação daquela região como área de risco, pela Direção-Geral de Veterinária. O regulamento é datado de 2004. PORMENORES  Inspeção é obrigatória De acordo com o regulamento europeu citado pela ASAE, as peças de caça selvagem devem ser encaminhadas para um estabelecimento aprovado para serem sujeitas a inspeção que inclui a pesquisa de Trichinella (parasita), o que não aconteceu. O que é a triquinelose? É uma doença transmitida aos humanos através da ingestão de carne de porco, javali ou cavalo insuficientemente cozinhada. Pode originar dores abdominais e musculares, náuseas, vómitos, diarreia, edema nas pálpebras e insuficiência cardíaca

Partilhe
TOP