OCDE deixa alerta a Portugal

Por Rita Almeida / Quinta-feira, 14 de Junho de 2018 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

Segundo dados revelados pela Oraganização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), a economia portuguesa está a crescer a um ritmo mais lento e as perspetivas, até ao final do ano, não são muito animadoras.

A OCDE divulgou, ontem, que o indicador compósito avançado de Portugal, no mês de abril, rondou os 99.76, ou seja, 0,06% abaixo do nível 100. Isso significa uma desaceleração da economia. Um abrandamento que se verifica desde janeiro desde ano.

“Temos estado a registar um arrefecimento da economia e afastarmo-nos da média do crescimento da União Europeia, o que é preocupante e perigoso”, considera o economista João Duque.

O economista realça, ainda, o pior desempenho das exportações nos primeiros três meses do ano, bem como um decréscimo na procura turística no Algarve. João Duque afirma que a economia portuguesa está associada à procura externa, “não temos mercado interno para a sustentar”, logo qualquer travão do exterior é fator de preocupação, diz.

Para uma evolução favorável do produto interno bruto (PIB) português, Angola pode ser decisiva, caso o preço do petróleo mantenha a tendência de subida e as relações políticas entre os países fiquem estáveis. Este cenário “beneficiaria as exportações portuguesas”, embora o aumento do preço do petróleo implique negativamente no consumo dos portugueses.

A OCDE observou um crescimento estável nos Estados Unidos (100,2) e no Japão (99,9), baixas no Canadá (99,9), na Alemanha (100,3), na França (99,8), na Itália (100,2) e no Reino Unido (99). O organismo internacional registou uma consolidação do crescimento na Índia (101,2), estabilidade na Rússia (101) e no Brasil (103,8) e sinais de variação positiva na China (99,1).

Partilhe
TOP