Mais um episódio da novela Centro Histórico

Por Luís Mendonça / Quarta-feira, 27 de Junho de 2018 / Publicado na categoria Concelho, Notícias

Depois da petição online com mais de 1300 assinaturas e de uma carta aberta contra o “estudo prévio” apresentado pela autarquia, agora é a vez de um requerimento à Direção Geral do Património Cultural de modo a impedir as obras previstas no Centro Histórico da cidade de Santo Tirso.

Entretanto, Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, sublinhou, à Agência Lusa, a “inexistência, sequer, de um projeto para as obras, dado estarem ainda a decorrer estudos”. O autarca lamentou ainda que o grupo de requerentes que “nem sequer deu aportes para o aprofundamento do projeto ou para a sua remodelação nos termos em que for, se dedique antes a boicotar com a posição, assumida, de que não se faça nada”.

Em comunicado enviado à nossa redação é referido que “este pedido, da autoria de cidadãos tirsenses sem qualquer ligação partidária, pretende ver protegido o centro histórico da sua cidade, das projetadas intervenções do executivo camarário que, na sua opinião, iriam descaracterizar de forma drástica os espaços em causa”.

Daniel Azevedo, autor da petição online e da carta aberta, e Henrique Pinheiro Machado, ex-candidato pelo Movimento Independente P’rá Frente, são os autores deste requerimento e estiveram à conversa com a Rádio Voz de Santo Tirso.

Henrique Pinheiro Machado, assinante mandatário deste requerimento, diz estar confiante e acredita “na sensibilidade da parte da Direção Geral do Património Cultural.” Informou ainda que “a única maneira de travar estas obras era requerer a classificação como património público das praças para impedir a sua destruição”.

Por sua vez, Daniel Azevedo, autor da petição online contra estas obras, sugere à câmara que “olhe para estes espaços com olhos diferentes e que pense mais na valorização e na renovação” dos mesmos.

Duas vozes unidas – apartidárias, representando a população de Santo Tirso, com o mesmo objetivo que é travar a reformulação do centro histórico de Santo Tirso.

Partilhe
TOP