Câmara da Trofa homenageia benemérito Joaquim Franco Ferreira Lopes

Por Luís Mendonça / Quarta-feira, 11 de Julho de 2018 / Publicado na categoria Concelho, Notícias

A Câmara Municipal da Trofa realiza a 14 de julho, pelas 15h30, a cerimónia simbólica de recolocação de uma placa que representa a memória da Doação da Escola Cerro 1, por Joaquim Franco Ferreira Lopes à comunidade, na Freguesia de Guidões.

Trata-se de “repor a justiça” tal como defende o Presidente da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Humberto, que considera que “a Câmara Municipal da Trofa deve honrar a memória do Benemérito Joaquim Franco Ferreira Lopes, que doou a escola e o seu mobiliário, à freguesia, em 1927”.

A ideia de colocar uma placa de reconhecimento desta doação na escola, remonta a 23 de maio de 1934, data em que foi aprovada em Reunião de Câmara, na ocasião, do Concelho de Santo Tirso.

No entanto, com o passar dos anos e com as sucessivas obras de requalificação que a escola sofreu, a “placa alusiva à doação” desapareceu.

Assim, dando resposta a um pedido da família do benemérito Joaquim Franco Ferreira Lopes, o Presidente da Câmara Municipal da Trofa considerou que “é altura de Guidões” e da Trofa reconhecerem o contributo deste “grande Trofense, que apesar de emigrado no Brasil, nunca esqueceu a sua terra e os seus!”.

A atual escola básica EB1 de Cerro 1 passará a intitular-se EB1/JI Joaquim Franco Ferreira Lopes, integrando o Agrupamento de Escolas Coronado e Castro.

Joaquim Franco Ferreira Lopes é oriundo de uma família com uma profunda ligação à Freguesia de Guidões.

“A Casa  Lopes situa-se  em  Guidões,  no  Lugar  da  Igreja,  nome que  advém  do  facto  de a  casa  estar  instalada  onde, no  passado, existiu a igreja primitiva de Guidões.

A família  Lopes  dedicou-se,  sobretudo,  à  agricultura  sendo  a produção   de   milho,   batata   e   vinho   as   atividades   mais significativas.

Da Casa  Lopes  emigraram  para  o  Brasil  vários  elementos, segundo Abade de Sousa Maia no livro “Memórias de Guidões” teriam  sido  cinco  os  irmãos  Ferreira  Lopes  a  emigrar  para  este país,  dos  quais  se  destaca  Joaquim  Franco  Ferreira  Lopes,  que fez fortuna com o comércio e a exportação de açúcar.

Joaquim Franco Ferreira Lopes contribuiu financeiramente para a construção de várias instituições dedicadas ao progresso e bem estar  da  população  no  Brasil  como  na  sua  terra  Natal  das  quais se destacam o Hospital Português do Recife em Pernambuco e a escola de ensino primário de Guidões a qual herdou o nome da família.

Esta  última  tem  um  significado  especial  pois,  segundo familiares  próximos,  Joaquim  Franco  Ferreira  Lopes  dizia  em criança,  que  se  fosse  rico  mandaria  construir  uma  escola  em Guidões, pois tinha que andar muito tempo a pé. Desejo que viria a concretizar em adulto. Joaquim Franco Ferreira Lopes faleceu no Brasil,  mas  por vontade manifestada em vida, o seu corpo foi transladado para o cemitério de Guidões.

Dos    elementos    da    família    que    emigraram    nem    todos regressaram, tendo alguns fixado residência no Brasil.

A Casa Lopes teve um papel importante na construção da atual Igreja Paroquial de Guidões, que no ano de 1880 veio substituir a  antiga e  primitiva  igreja,  que  ficava contigua à  propriedade da Casa Lopes e que há muito se debatia com a falta de espaço e o difícil    acesso,    condições    que    levaram    à    sua    inevitável reformulação.

A Casa  Lopes  contribuiu  financeiramente  para  a realização da obra, à semelhança de outras famílias de Guidões.

No  local onde  existiu  a  primitiva  igreja  e,  que  atualmente  é  o jardim  da  Casa  Lopes,  mandou,  Agostinho  Ferreira  de  Castro Lopes, erigir um cruzeiro no ano de 1942”.

Partilhe
TOP