Reino Unido ameaça sair da UE sem acordo

Por Tiago / Segunda-feira, 06 de Agosto de 2018 / Publicado na categoria Internacional, Mundo, Nacional, Notícias

Relação comercial entre as duas partes está em risco, alerta ministro do Comércio.

Dois anos depois da maioria dos britânicos ter votado a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE)- num processo longo e polémico – o risco da falta de um acordo aumentou. O ministro do Comércio Internacional britânico, Liam Fox, advertiu, em entrevista ao ‘The Sunday Times’, que o país pode sair da UE em março de 2019 sem acordo devido à “intransigência” de Bruxelas. Na semana passada a UE rejeitou a proposta comercial britânica. As possibilidades de que não se consiga um pacto com a UE são neste momento de 60% contra 40%, apesar da insistência de Londres e Bruxelas em querer um acordo do Brexit. Londres e Bruxelas continuam as negociações, mas enfrentam dificuldades. “Acredito que a intransigência da comissão nos empurra para que não haja acordo. Estabelecemos as bases para que haja um acordo, mas se a UE decide que a obsessão teológica dos não eleitos tem prioridade no bem-estar económico da população da Europa, então é um Brexit de burocratas”, referiu. A primeira-ministra, Theresa May, propõe a criação de um mercado comum de bens britânico-comunitário em alguma harmonização da regulamentação. A proposta inclui a criação de um mercado comum de bens e produtos agrícolas, que levaria a que a alfândega britânica arrecadasse impostos em nome dos 27. Bruxelas considera que é impraticável. PORMENORES May procura apoio A primeira-ministra britânica, Theresa May, transmitiu ao presidente francês, Emmanuel Macron, a posição de Londres no momento que decorrem as derradeiras negociações sobre o Brexit. Theresa May teve um encontro na sexta-feira, no Sul de França, com Macron que está na residência oficial de férias. Maioria quer referendo Metade dos britânicos quer novo referendo sobre o Brexit, segundo uma sondagem da Sky News. A sondagem refere que 78% dos britânicos consideram que o governo conservador da primeira-ministra, Theresa May, não está a conduzir bem as negociações para o Brexit.

Partilhe
TOP