Mais de 26.100 famílias já pediram ajuda à Deco este ano

Por Tiago / Quarta-feira, 31 de Outubro de 2018 / Publicado na categoria Nacional, Notícias

O número de pedidos de ajuda à Deco por parte de famílias sobre-endividadas aumentou entre janeiro e outubro deste ano para 26.180, um problema que afeta cada vez mais pessoas divorciadas e viúvas.

Segundo dados da Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor divulgados a propósito do Dia Mundial da Poupança, que se assinala esta quarta-feira, 31 de outubro, o número de pedidos de ajuda ao Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado (GAS) em todo o ano de 2017 tinha sido menor do que em 2016, mas entre janeiro e outubro deste ano já houve mais uma centena do que em período homólogo do ano passado.

São já quase metade (47%) os casosem que o pedido de ajuda vem de um agregado familiar de apenas um elemento, pessoas divorciadas ou viúvas. A principal causa continua a ser o desemprego, que apesar de tudo baixou de 30,1% para 20%, seguido da deterioração das condições de trabalho (19%), da doença/incapacidade (15%) e da alteração do agregado familiar e o divórcio/separação (ambos com 10%).

Outra alteração que a Deco tem notado nas famílias que lhe pedem ajuda e que tem que ver com a dimensão do agregado familiar. Atualmente, 47% dos casos são de um único elemento do agregado familar, decorrente de situações de divórcio ou viuvez, por exemplo.

Dos pedidos de ajuda recebidos, foram abertos, entre janeiro e outubro deste ano, 2.077 processos de sobre-endividamento, um pouco mais do que no mesmo período do ano passado (2.001).

As famílias acompanhadas pela Deco têm uma média de cinco créditos, o montante médio do crédito à habitação é de 85.000 euros, o montante médio dos créditos pessoais é 16.500 euros e o valor total dos cartões de crédito chega aos 7.500 euros.

Partilhe
TOP